61 98103-5127
gnosebrasilia@gmail.com

SAMAEL AUN WEOR: O GRANDE MESTRE GNÓSTICO DO SÉCULO XX

Dia 27 de outubro a comunidade gnóstica mundial celebra o advento de Samael – o Quinto Anjo do Apocalipse – o Senhor do Quinto Raio – O Logos de Marte. Mas, afinal, quem é Samael? Quantos, de fato, conheceram (ou conhecem) Samael? Qual seu papel na história contemporânea? Que influências suas ideias exercem e exercerão sobre a cultura, a ciência e a religião do novo milênio? Como pode a humanidade admitir que o Avatar da Era de Aquário já veio e se foi de nosso convívio? Onde está Samael agora? Sendo o Avatar um abridor de caminhos e aplainador de terrenos para a vinda do Cristo Interno, quando virá o Cristo da Era de Aquário? Estas são algumas das mais palpitantes questões que os esoteristas modernos estão buscando compreender.

Samael, no Talmud, Zohar e outros livros que comentam a Bíblia, é mencionado como um “Anjo Caído” (efetivamente, ele estava “caído” até o século passado, mas, para cumprir sua missão como Avatar da Era de Aquário, teve que levantar-se  e o fez magistralmente. Por isso, vale a pena conhecer sua vida e sua obra. (Porém, o que significa “levantar-se”?)

O Apocalipse o descreve como o Quinto dos Sete. No esoterismo mais profundo e autêntico, Samael é conhecido como o Logos Regente de Marte. Modernamente, podemos dizer que Samael é o Senhor do Quinto Raio.

Para aqueles que nunca ouviram falar de Samael torna-se necessário tecer alguns comentários acerca de sua obra e da sua missão terrena no século XX. Mesmo o leigo tem ideia de que é muito difícil a formação ou o nascimento de um Adepto ou Mestre de Sabedoria. E a maioria ignora que eles existem.

Mas, poucos, pouquíssimos são os que chegam ao nível de “Mestre de Sabedoria” – e Samael Aun Weor foi um desses poucos. Por isso, a Ele foi confiada a transcendental missão de ser o Avatar de Aquário, o esperado KALKI AVATAR, o abridor de caminhos para a vinda do próprio Cristo Cósmico na Era de Aquário.

O “Boddhisattwa” do Mestre Samael nasceu no dia 6 de março de 1917, no seio de uma família aristocrática em Bogotá, Colômbia, América do Sul. Foi batizado com o nome de Victor Manuel Gómez Rodríguez. Desde muito cedo demonstrou talentos e capacidades incomuns, como a de lembrar de suas vidas passadas e a de se desdobrar em astral conscientemente.

Ao fim de sua juventude já havia passado por diferentes escolas espirituais, como espiritismo, yoga, rosa-cruz e teosofia. Sempre levou uma vida nômade. Bem cedo recebeu a chave secreta do GRANDE ARCANO – que é o segredo dos segredos para quem quer o CAMINHO INICIÁTICO.

Suas capacidades e sabedoria logo se tornaram marcantes. Ficou conhecido, no círculo esotérico de seu país, ao final dos anos 40, como “o jovem Mestre Aun Weor”. Falava com grande autoridade e todos que o escutavam sentiam a força que emanava de seu Ser.

Os que o conheceram pessoalmente naquela época, não podiam deixar de notar duas coisas: seu amor à humanidade e sua extrema humildade, embora fosse altaneiro (jamais orgulhoso ou soberbo) com os ricos e poderosos.

Em 1948 lhe foi revelado, no mundo espiritual, qual seria sua missão, conformada em três aspectos:

1) Formar uma nova cultura.

2) Forjar uma nova civilização.

3) Criar o Movimento Gnóstico.

Em 1950 é editado o primeiro livro do “jovem Mestre Aun Weor”. O trabalho que ele desenvolveu nessa época está bem detalhado no livro A HISTÓRIA DA GNOSE, escrito por seu primeiro discípulo, Julio Medina Vizcaino – Boddhisattwa do V. M. Gargha Kuichines.

Um trabalho tão grande, para a época e o país, não poderia deixar de provocar reações. E a tempestade apareceu em forma de perseguições, calúnias, traições, etc.

Em 1952, Aun Weor é preso sob a acusação de “curandeirismo”. Anos mais tarde, com a família (dois filhos pequenos e a esposa grávida do terceiro), teve que abandonar o país para não ser morto.

Cruzou o Panamá e os países da América Central parte a pé, parte pegando carona, até chegar ao México, onde viveu até desencarnar em 1977.

Em 27 de outubro de 1954, acompanhado de seus discípulos mais leais, outro acontecimento espiritual marca a vida de Aun Weor. No Templo Subterrâneo de Serra Nevada de Santa Marta, Colômbia, acontece o advento do Cristo Samael no Boddhisattwa Aun Weor.

Aun Weor alcançava a Quinta Iniciação Maior e passou a assinar seu nome espiritual de forma completa: SAMAEL AUN WEOR.

Dia 4 de fevereiro de 1962 iniciava-se, oficialmente, a Era de Aquário. Graças a um excelente trabalho desenvolvido por vários de seus discípulos, nessa época os livros do Mestre Samael Aun Weor já estavam sendo distribuídos e circulavam por diversos países da América do Sul. O número de adeptos já somavam vários milhares.

A década de 70, especialmente, foi muito fecunda para o Mestre Samael Aun Weor. Além de haver escrito suas mais notáveis obras, criou também diversas novas instituições, abrangendo assim os principais segmentos sociais.

Dentre as diversas instituições criadas diretamente pelo Mestre Samael Aun Weor, está a plataforma de um partido político, o POSCLA – Partido Operário Socialista Cristão Latino Americano; um instituto de caridade, o ICU – Instituto de Caridade Universal; a Igreja Gnóstica Cristã Universal – IGCU – e uma instituição cultural – a AGEACAC.

Em complemento a todo esse gigantesco trabalho, foram organizados e realizados diversos Congressos Mundiais.

Toda essa larga trajetória de realizações bem sucedidas foi interrompida 90 dias antes da noite do Natal de 1977. Iniciava-se aí seu processo iniciático final, e, na noite de 24 de dezembro de 1977, ocorreu o desencarne do Mestre Samael Aun Weor. Terminava assim, em noite memorável, sua vida de sacrifícios e a Primeira Etapa de sua vida mística, de sua obra e de sua missão.

Hoje, o Kalki Avatar da Era de Aquário vive como Mestre Ressurrecto no Tibet junto a inúmeros outros Mestres de Sabedoria que formam a Muralha Guardiã do Mundo. E, como outros seres dessa envergadura, periodicamente, realiza missões em diferentes partes do mundo, anonimamente.

Visto toda a grandeza de suas obras e o rápido espalhamento do movimento gnóstico pelo mundo, podemos concluir que o Mestre Samael não foi um simples escritor esotérico, nem foi, simplesmente, um estudioso do hermetismo, ou, tampouco, o criador de mais uma simples seita, como querem os eternos detratores da Divina Gnose.

Samael, além de haver encarnado todos os princípios espirituais que ensinou ao mundo no Século XX, soube também sintetizar a essência do Buddhismo e do Cristianismo; decodificou a ciência alquímica; rasgou os véus dos mistérios sexuais e abriu as portas da antropologia esotérica que nos dá o elo perdido para unificar e conciliar todas as culturas e civilizações do passado e do presente, do Oriente e do Ocidente.

Assim como Deus se esconde em sua própria “Creação”, também o Kalki Avatar da Era de Aquário se oculta em sua própria obra. Porém, para alguns dos eternos inimigos da divindade, Samael Aun Weor é apenas o criador de uma das mais destrutivas seitas do século XX.

Por paradoxal que pareça aos olhos dos não-iniciados, o Movimento Gnóstico iniciado por Samael é a única escola autenticamente Iniciática que restou à humanidade aqui no Ocidente. Seus livros abordam de forma escancarada e simples todo o processo de “Cristificação” para todo ser humano, sem distinção alguma, que anela a autêntica Iniciação Branca.

Leia Mais